Coleções e inventários #2 – Menken, Cornell, Brehm, Brakhage, Friedrich, Lowder


Lugares, texturas, objetos, gestos, fontes luminosas, jardins – e às vezes tudo ao mesmo tempo, como no encantador “Blah, Blah, Blah”, do austríaco Dietmar Brehm, ou no singelo “Notebook”, de Marie Menken. Entre realizadores contemporâneos (Brehm e Lowder) e clássicos do cinema de vanguarda (Brakhage, Menken, Friedrich e Cornell), o gosto pelos inventários e pelas coleções nunca deixou de alimentar os delírios do cinema experimental, essa espécie de catálogo caótico de coisas dispersas, banais e sem importância. Com exceção de “A Legend for Fountains”, de Rudolph Burckhardt e do célebre “bricoleur” Joseph Cornell (num de seus filmes onde a idéia de coleção, ironicamente, está presente de forma mais indireta) e também do clássico “A Riddle of Lumen”, de Brakhage, todos os filmes apostam menos na duração do olhar do que na velocidade das séries. Num ou noutro caso, é sempre o reordenamento promovido pelo olhar que confere sentido às coisas.

BH quarta 16 19h30
Curitiba terça 29 19h30

Blah, Blah, Blah
Dietmar Brehm, AUS, 2005, 13 min, 16mm
Um ensaio sobre a inquietude, ou sobre a insônia.

Bouquets (21, 22, 23, 24, 26, 27)
Rose Lowder, EUA, 1994/1995, 6 min, 16mm
Filmes de um minuto reúnem paisagens e jardins de locações específicas, resultando em pequenos bouquets de imagens montados na própria câmera.

Scar Tissue
Sue Friedrich, EUA, 1979, 7′, 16mm
Ensaio visual sobre a linguagem gestual e sobre o movimento.

Notebook
Marie Menken, EUA, 16mm, color & b/w, 10 min, 16mm
Pequena coleção pessoal de imagens.

The Garden of Earthly Delights
Stan Brakhage, EUA, 1981, 2 min, 16mm
Filme-colagem, inteiramente composto por restos de vegetação de uma área montanhosa. O título é uma homenagem à pintura “O jardim das delícias terrenas”, de Hieronymous Bosch.

The Riddle of Lumen
Stan Brakhage, EUA, 1972, 15 min, 16mm
Uma coleção, ou um enigma, feito a partir de diferentes formas de incidência da luz.

A Legend for Fountains
Joseph Cornell and Rudolph Burckhardt, EUA, 1957/1965, 19 min, DVD

Olhares e fragmentos dispersos do cotidiano pontuam a tarde de uma jovem, que caminha pelas ruas de uma cidade e se recolhe num quarto de hotel.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: